Adventistas do Sétimo Dia – Movimento de Reforma

O povo de Deus não deve ocultar-se

Daniel foi um estadista em Babilônia. … Por seu fiel serviço, ensinou aos babilônios que seu Deus era um Deus vivo, não uma imagem como as que adoravam. Era desígnio de Deus mostrar aos babilônios que havia um Rei acima do rei de Babilônia — o Deus a quem os hebreus adoravam. Esses jovens exaltaram a Deus. Sabiam que deviam viver os princípios da verdade e, portanto, recusaram o alimento da mesa do rei e o vinho da adega real. Sua abstinência do cardápio prescrito fez a distinção, em todos os sentidos, entre sua aparência e a aparência dos jovens que condescenderam com o apetite.

Houve muitos que fizeram observações, mas esses jovens eram fiéis mesmo nas pequenas coisas. E na aparência física estavam muito adiante dos jovens que se assentavam à mesa do rei. Seu regime simples conservou clara a mente. Estavam mais bem preparados para os estudos, pois nunca conheceram a opressão causada pelo ingerir alimento requintado. Estavam fisicamente mais bem preparados para um labor exigente, pois nunca ficavam enfermos. Com a mente clara, podiam pensar e trabalhar de modo vigoroso. Ao obedecerem a Deus, estavam fazendo justamente as coisas que dão força de raciocínio e memória. Deus ordenou que Daniel e seus companheiros se relacionassem com os grandes homens de Babilônia, a fim de que esses homens pudessem conhecer a religião dos hebreus e saber que Deus reina sobre todos os reinos. … 

De modo semelhante, deseja o Senhor que os adventistas do sétimo dia Lhe sejam testemunhas. Não devem ocultar-se do mundo. Devem estar no mundo, mas não ser do mundo. Devem distinguir-se do mundo em sua maneira de agir. Devem mostrar que têm pureza de caráter, para que o mundo veja que a verdade, na qual conscienciosamente acreditam, torna-os honestos em seu trato; para que aqueles com quem se relacionam possam ver que os crentes na verdade são santificados por ela e que a verdade recebida e praticada torna seus recebedores filhos e filhas de Deus, filhos do Rei celeste, membros da família real, fiéis, leais, honestos e íntegros, nos pequenos bem como nos grandes actos da vida. … 

Tudo o que merece ser feito, merece ser bem-feito. Sejamos fiéis nos menores deveres, tanto quanto no trabalho que requer o maior sacrifício. A todos os que seguem o exemplo de Daniel, não só professando a verdade mas vivendo a verdade, agindo de acordo com os princípios da temperança, o Senhor dará coragem semelhante à coragem que deu a Daniel. — Manuscrito 47, 1898.

COMENTARIOS RECENTES

    MORADA POSTAL

    Apartado 2400
    1109-001 LISBOA
    Website: http://www.asdmr.org
    Email: Clique aqui
    Este site usa cookies. Ao utilizar o site, está concordar com a utilização que fazemos das mesmas. Quer saber mais sobre cookies?