Adventistas do Sétimo Dia – Movimento de Reforma

Apresentando a verdade

O grande Mestre proclamou a verdade para os seres humanos, muitos dos quais não poderiam ser educados nas escolas dos rabis nem na filosofia grega. Jesus transmitiu a verdade de maneira clara e direta, dando força vital e um cunho impressivo a todos os Seus pronunciamentos. … 

Os rabis e mestres haviam virtualmente fechado o reino do Céu aos pobres e aflitos, deixando-os a perecer. Em Seus discursos, Cristo não lhes apresentava muitas coisas de uma só vez, para não confundir-lhes a mente. Tornava cada ponto claro e distinto. … 

Cristo foi o originador de todas as antigas gemas da verdade. Mediante a obra do inimigo, essas verdades haviam sido deslocadas. Tinham sido separadas de sua verdadeira posição, e colocadas na moldura do erro. A obra de Cristo foi reajustar e estabelecer as preciosas gemas no arcabouço da verdade. Os princípios da verdade, dados por Ele mesmo para abençoar o mundo, haviam sido sepultados mediante o instrumento satânico, e aparentemente se tornado extintos. Cristo os resgatou dentre a escória do erro, deu-lhes nova força vital, ordenou que brilhassem como joias preciosas e permanecessem firmes para sempre. O próprio Cristo pôde usar essas velhas verdades sem tomar emprestada a mínima partícula, pois Ele mesmo havia dado origem a todas. …

Ao apresentar Cristo essas verdades às pessoas, interferiu o mínimo possível em sua costumeira linha de pensamento. … Despertou-lhes, portanto, a mente, apresentando a verdade mediante o auxílio dos assuntos que lhes eram mais familiares. Em Seus ensinos, usou ilustrações que chamavam à ação as suas mais reverenciadas lembranças e simpatias, para poder atingir o íntimo templo da alma. Identificando-Se com os interesses deles, tirou ilustrações do grande livro da natureza, usando objetos com os quais estavam familiarizados. O lírio do campo, a semente semeada pelo semeador, o brotar da semente e a colheita do grão, as aves do ar — todas essas figuras usou Ele para apresentar a divina verdade, pois faria com que se lembrassem de Suas lições toda vez que dali em diante as contemplassem. … 

Embora Satanás houvesse representado mal os propósitos de Deus, falsificado o Seu caráter e levado o povo a considerá-Lo sob uma falsa luz, ainda assim, através dos tempos, o amor de Deus por Seus filhos terrestres nunca cessou. A obra de Cristo era revelar o Pai como misericordioso, compassivo e cheio de bondade e verdade. … O Filho unigênito de Deus faz retroceder a infernal sombra com que Satanás envolvera o Pai e declara: “Eu e Meu Pai somos um; olhem para Mim e estarão contemplando a Deus.” — Manuscrito 25, 1890; Manuscript Releases 13:240-243.

COMENTARIOS RECENTES

    MORADA POSTAL

    Apartado 2400
    1109-001 LISBOA
    Website: http://www.asdmr.org
    Email: Clique aqui
    Este site usa cookies. Ao utilizar o site, está concordar com a utilização que fazemos das mesmas. Quer saber mais sobre cookies?